Trabalho escravo: 20 pessoas são resgatadas no Maranhão

Publicado em

Acredite: quase 130 anos após a abolição da escravatura no Brasil, ainda há registro de trabalho escravo no Maranhão. Nesta semana, em ação conjunta com outros órgãos, o Ministério Público do Trabalho do Maranhão (MPT-MA) resgatou 20 pessoas em situação análoga à de escravo, em Vargem Grande, município distante 172 km da capital e localizado no norte do Estado.

6 dicas para fugir do estresse

Publicado em

Estresse todo mundo tem, é uma reação natural do corpo a alguma ameaça externa. Desde o tempo das cavernas, ele atua em benefício do ser humano, já que, quando o homem precisava caçar, o estresse preparava o seu corpo para que tivesse mais foco e mais reflexos. É isso mesmo: nos momentos certos, o estresse é positivo. O grande problema é que, atualmente, ocorre com tamanha frequência que acaba sobrecarregando o organismo e prejudicando a saúde.

4 exercícios para aprender a gostar mais de si mesmo e ser seu melhor amigo

Publicado em

Todo dia, você se cerca dos seus companheiros no trabalho. Chega em casa e corre para conversar com a família. Nos fins de semana, sai e se diverte: mas sempre acompanhado. Se você não vai à esquina sem uma companhia, é bom começar a procurar ajuda: você está fugindo de si mesmo. Dá para aprender a gostar mais de si mesmo?

A psicoterapeuta Maura de Albanesi – mestranda em Psicologia e Religião pela PUC-SP, pós-graduada em Psicoterapia Corporal, Terapia de Vivências Passadas (TVP), Terapia Artística, Psicoterapia Transpessoal e Formação Biográfica Antroposófica – exemplifica que fugir de si mesmo seria como se imaginar convidando alguém que você não suporta para passar um fim de semana na sua casa de campo.

Quando não tem ninguém ao redor, a pessoa é obrigada a estar com ela. E se há um desconforto de estar só, ela não vai conseguir ficar esse tempo sozinha e vai precisar de outras pessoas, porque há uma projeção e toda aquela diluição e, então, ela não entra em contato com ela mesma. Porque a solidão é a ausência de contato com a própria essência
Maura de Albanesi, psicoterapeuta

É preciso ter momentos de contato com sua essência
É preciso ter momentos de contato com sua essência

De acordo com a psicoterapeuta, isso ocorre porque a pessoa não gosta de si mesma e não quer entrar em contato consigo, criando dependência. Mas, obviamente, pondera a especialista, há momentos em que você sente vontade de ficar com outras pessoas, ter essa troca.

E como sair dessa e aprender a gostar mais de si mesmo? Albanesi explica que para sair dessa situação, é necessário ter em mente que, querendo ou não, você está fadado a ficar só com você.

E se você não se gostar, você vai se carregar pelo resto da eternidade. Você pode estar sem ninguém, mas sem você, você não existe. E daí que a gente fala: qual a pessoa mais importante para você? Você mesmo
Maura de Albanesi, psicoterapeuta

Para começar a gostar mais de si mesmo, a psicoterapeuta elenca quatro caminhos:

Dê quatro motivos porque alguém gostaria de estar do seu lado

“Cite quatro coisas que você acha muito legal do porque alguém sairia do seu espaço e estaria com você. O que você agregaria para essa pessoa?”

Fale quatro itens que você costuma fazer e as pessoas não gostam

“O que você faz ou deixa de fazer que você tem certeza que as pessoas não vão gostar desse seu jeito. Porque na realidade é você que não gosta desse seu jeito”.

Pergunte a si mesmo o que você sugeriria para essa pessoa fazer junto?

“Ir no cinema, no teatro… o que você iria propor? E o que você propõe, você observa se gostaria ou não de estar fazendo isso”.

Marque um encontro com você mesmo

“Na hora que essa pessoa faz essas três perguntas, é como se ela pudesse pegar isso e falar: ‘Bom, então, eu marco um encontro com você’. A pessoa vai marcar um encontro consigo mesmo sabendo que vai ter essas coisas boas, essas coisas desagradáveis e o que vai fazer. E ela vai fazer tudo isso sozinha, vai pegar um final de semana e ter a experiência de viajar com ela mesma. Ela pode até comprar duas passagens”, brinca.

Fobia social: o outro lado da história

Nem sempre quem faz as coisas sozinho está bem. É o que pondera a psicoterapeuta. Nem sempre as pessoas que querem ficar o tempo todo sozinhas têm a autoestima elevada.

É um problema quando a pessoa só quer estar sozinha e nunca quer estar com ninguém. Chamamos de fobia social. Então o exagero dos dois lados é que é ruim. Tudo depende de com que qualidade ela fica a só. Porque se todas as vezes que você for a algum lugar, você só quer ir sozinho e nunca com alguém, aí a gente pode se perguntar se é porque durante a semana você está rodeado de gente, precisa de um retiro… Mas existem pessoas que ficam sozinhas e às vezes com muita angústia, então, precisa ver com que qualidade elas ficam sozinhas
Maura de Albanesi, psicoterapeuta

É necessário viver os dois momentos em equilíbrio, conclui.

Qual outro idioma você estudaria?

Publicado em

“Além do inglês, qual outro idioma você estudaria?”: essa foi a pergunta feita pelo Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube) a 15,6 mil estudantes brasileiros. O resultado surpreende: há uma predileção por línguas consideradas mais próximas da nossa cultura. A terceira língua mais falada no mundo, com 392 milhões de adeptos na América do Sul, América Central e em seu país de origem, o espanhol, foi a mais desejada por 52,7% (8.243). A pesquisa foi feita entre os dias 11 e 22 de abril de 2016.

Também queremos saber qual sua opção; participe da nossa enquete pelo Twitter do MauricioAraya.com.br

Em segundo lugar, com 22,9% (3.581) votantes, ficou o francês, presente em países como Haiti, Ruanda, Bélgica, Guiana Francesa, Camarões, Canadá e, claro, na França, somando 129 milhões habitantes. O alemão, falado por 90 milhões, foi o terceiro colocado, escolhido por 13,37% (2.091), seguido pela opção ‘Outros’ na pesquisa, com 5,81% (909 participantes). Por fim, veio o Chinês (Mandarim), língua nacional mais falada na Terra, na quinta posição da pesquisa, com 5,22% (816).

Além da questão geográfica, a relação feita pelos brasileiros entre os idiomas e o turismo também motivam o aprendizado de novas línguas.

Paris, cercada de atrativos como a Torre Eiffel e o Museu do Louvre, representa um dos destinos mais visitados do mundo. Como consequência, nasce um desejo peculiar por investigar o ‘glamour linguístico’ desfilado nas ruas francesas
Eva Buscoff, coordenadora de treinamento do Nube

Além de representar vantagens no currículo do estudante, a realização de grandes eventos como Olimpíada, Copa da Mundo e festivais de música traz a obrigação de um segundo e até um terceiro idioma.

Isso sem contar com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Na hora da aprovação de um candidato em processos seletivos ou mesmo no momento da efetivação e promoção do jovem, ter experiências internacionais e uma diversidade linguística – além de um bom português, claro, pode ajudar a definir quem será escolhido para uma vaga