Duas explosões solares bastante significativas foram registradas pelo Observatório de Dinâmica Solar (SDO, na sigla em inglês) da Nasa, a agência espacial americana, na manhã dessa quarta-feira, 6 de setembro de 2017: a primeira, às 5h10, e a segunda, a mais potente, atingiu o pico às 8h02.

Coleta seletiva: veja onde descartar resíduos recicláveis em São Luís
Publicidade
Curta e compartilhe

O SDO, que observa constantemente o Sol, captou imagens de ambos os eventos, com poderosas rajadas de radiação.

A primeira é classificada como X2.2, e a segunda X9.3. A classe X indica explosões solares mais intensas, enquanto o número fornece mais informações sobre a sua força. Um X2 é duas vezes mais intenso que um X1, por exemplo; e um X3 é três vezes mais intenso, etc.

Ambas as chamas solares entraram em erupção de uma região ativa denominada AR 2673. A explosão solar X9.3 foi a maior até agora do ciclo solar atual, de, aproximadamente, 11 anos e que teve início em dezembro de 2008.

Nasa registra duas explosões solares bastante significativas
Animação mostra explosões solares X2.2 e X9.3, capturadas pelo Observatório de Dinâmica Solar da Nasa (Foto: Nasa/Goddard/SDO)

Segundo os cientistas, a radiação prejudicial das explosões solares não passa pela atmosfera da Terra ou afetar fisicamente os seres humanos na superfície; mas, quando intensas o suficiente, podem perturbar a atmosfera na camada onde o GPS e os sinais de comunicação viajam, atrapalhando as telecomunicações.

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário! Ele é muito importante para mim.

Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube. Receba, ainda, novidades e ofertas exclusivas por e-mail inscrevendo-se na newsletter.