Tempo seco demanda cuidados também com o coração; afinal, o ar seco dificulta a dispersão de poluentes que, quando inalados, causam, entre outros males, elevações significativas na pressão arterial, explica especialista.

O mês de julho chega ao fim levando o título do mês mais seco desde 2008, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) anunciou semana passada. O tempo seco e a falta de chuva que grande parte do Brasil enfrenta há mais de 40 dias, além de baixar a umidade relativa do ar, é o cenário propício para comprometer a saúde da população, potencializando a ocorrência de doenças respiratórias e trazendo riscos ao coração. Entre o grupo de risco, hipertensos, cardiopatas e idosos são os mais prejudicados.

Tempo seco e temperatura alta potencializam efeitos da poluição e trazem riscos ao coração
Tempo seco e temperatura alta potencializam efeitos da poluição e trazem riscos ao coração

Além de aumentar a propensão à derrames e infartos, ao inalar os poluentes, este grupo apresenta uma chance maior de sofrer com trombose, arritmia cardíaca, vasoconstricção aguda das artérias, reações inflamatórias em diferentes partes do corpo, e, ainda, com o desenvolvimento de aterosclerose crônica, como comenta o cardiologista do Hospital do Coração (HCor) de São Paulo, doutor Abrão Cury.

Os poluentes podem alterar a camada de revestimento internos dos casos sanguíneos, chamada de endotélio, o que aumentam ainda mais os problemas cardiológicos, que atingem cerca de 35% dos brasileiros

Cuidados com o coração

Para aliviar o incômodo e minimizar o risco, recomenda-se ingerir bastante água, usar fisiológico nos olhos e nas narinas, umidificar os ambientes e ficar em locais protegidos do sol.

Veja outras medidas importantes:
Hidrate-se e procure manter uma alimentação leve e equilibrada;
Evite correr, andar de bicicleta ou caminhar perto de vias congestionadas ou com muito trânsito;
Sempre que possível, visite locais mais distantes das grandes cidades, onde o ar é menos poluído;
Feche as janelas para proteger o ambiente da poluição.

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário; ele é muito importante para mim. Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube.