Mosaico humano em defesa dos Corais da Amazônia

Em defesa de um bioma marinho único e ainda pouco conhecido, revelado ao mundo em 2016 e já ameaçado, um grupo formado por mais de 500 pessoas formou um mosaico humano nas areias de uma das praias mais conhecidas do mundo, a de Copacabana, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (29). O recado foi claro: ‘Defenda os corais da Amazônia’ e ‘Petróleo não’.

Imagem de 100 metros de comprimento foi formada por mais de 500 pessoas

Mosaico humano de 100 metros de comprimento foi formada por mais de 500 pessoas (Foto: Fernanda Ligabue/Spectral Q/Greenpeace)

A ação foi articulada pela organização Greenpeace em parceria com o artista norte-americano John Quigley, especialista nesse tipo de arte, simbolizando o apoio da população à campanha.

Ao dizer não ao petróleo e defender os Corais da Amazônia, as crianças e jovens brasileiros também estão defendendo nosso futuro e protegendo nossos mares de possíveis vazamentos, com impactos devastadores. Eles são os representantes de nova geração de brasileiros que reconhecem a importância de acelerar a transição para fontes renováveis de energia e da proteção da natureza
John Quigley

Segundo a organização, que realizou expedições à costa do Amapá – onde está localizado o bioma –, duas petrolíferas, uma francesa e outra britânica, compraram direitos de exploração de blocos de petróleo próximos ao bioma. A atividade, defende o Greenpeace, traz risco de vazamentos.

A exploração de petróleo é uma atividade do passado. Diante de tantos acidentes que já vivenciamos, muitos que destruíram a vida marinha e as comunidades costeiras, não podemos aceitar as perfurações próximas aos Corais da Amazônia
Thiago Almeida, da Campanha de Clima do Greenpeace Brasil

Cerca de 200 eram estudantes de escolas públicas do Rio de Janeiro

Cerca de 200 eram estudantes de escolas públicas do Rio de Janeiro (Foto: Barbara Veiga/Spectral Q/Greenpeace)

Participaram da ação pelo menos 200 estudantes da rede pública de ensino do Rio de Janeiro.