Chuva no Maranhão colocou Estado em alerta amarelo para ocorrência de chuvas intensas nos próximos dias.

Um fenômeno climático conhecido como Zona de Convergência de Umidade (Zcou) provocou elevados volumes de chuva no Maranhão e outros Estados do Nordeste e Norte, no fim de semana. Caxias, município localizado no leste do Maranhão, teve o segundo maior volume de chuva de todo o Brasil. O Estado encontra-se em alerta amarelo para ocorrência de chuvas intensas nos próximos dias, segundo os principais institutos de previsão do tempo do país.

Até as 9h (horário de Brasília) deste sábado (11), a cidade de Caxias registrou 134,5 mm de precipitação, atrás somente de Piripiri (PI) – com 171,2 mm –, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O grande volume de chuva no Maranhão, no entanto, não fez a cidade alcançar a média histórica de precipitação (veja no gráfico abaixo). O mês de janeiro também teve chuva abaixo da média na cidade.

Chuva acumulada em Caxias (Fonte: Inmet)
Chuva acumulada em Caxias (Fonte: Inmet)

A capital maranhense, São Luís, registrou 47,6 mm de chuva nas últimas horas. No mês de fevereiro, o acumulado já alcança 136,1 mm – no 20 dia de janeiro, a média histórica já havia sido ultrapassada para o mês.

Região deve registrar altos volumes de chuva nos próximos dias
Região deve registrar altos volumes
de chuva nos próximos dias

Para os próximos dias, toda a área do oeste e interior do Nordeste têm previsão para grandes volumes de chuva, em especial nos Estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Bahia e Pernambuco.

Regiões do sertão e agreste nordestino, no entanto, devem registrar pancadas de chuva isoladas.

Chuva no Maranhão coloca Estado em alerta amarelo

A influência da Zcou na região fez o Inmet e o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) emitirem alertas (veja aqui e aqui) para a região sobre a possibilidade de chuvas fortes no período de 72 horas.

O aviso de chuvas intensas do Inmet alerta sobre o perigo potencial de corte de energia elétrica, risco de queda de galhos de árvores e leves alagamentos, com ventos intensos entre 40 e 60 km/h e volume de chuva entre 20 e 30 mm por hora ou até 50 mm por dia.

Já de acordo com o CPTEC/Inpe, há risco moderado para ocorrência de fenômeno meteorológico adverso dentro das de 72 horas. O centro de previsão orienta que a população acompanhe com mais frequência as atualizações da previsão do tempo para o planejamento e proteção de eventuais impactos decorrentes de tempo severo.

Orientações de segurança

Em caso de chuva forte, os moradores não devem se abrigar debaixo de árvores, pois há riscos de quedas; devem desligar aparelhos elétricos e quadro geral de energia; colocar documentos e objetos de valor em sacos plásticos bem fechados e em local protegido; revisar a resistência da sua casa, principalmente o madeiramento de apoio do telhado; não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda, já que há risco de queda pelo vento.

Outras orientações podem ser obtidas com a Defesa Civil (pelo telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (193).

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário; ele é muito importante para mim. Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube.