segunda-feira, outubro 23, 2017
Início > Atualidades > Brasil > Maranhão > Desemprego alcança 18 mil trabalhadores no Maranhão

Desemprego alcança 18 mil trabalhadores no Maranhão

Desemprego alcança 18 mil trabalhadores no Maranhão

Buscar um novo emprego virou realidade para ao menos 18 mil trabalhadores no Maranhão, em 2016. De janeiro a dezembro, o Estado registrou 18.036 demissões líquidas, segundo nota de mercado de trabalho – que leva em consideração dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – divulgada esta semana pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc). No ano anterior, o desemprego havia alcançado 15 mil trabalhadores.

Segundo o Imesc, o resultado foi influenciado, principalmente, pela contribuição negativa do setor da construção civil, que registrou o fechamento de 12,4 mil vagas em 2016.

Em 2016 foram 12,4 mil fechamentos de vagas na construção civil, que continua sendo o setor com maior número de desligamentos líquidos ao longo do ano. Esse número, em boa medida, é devido ao fato do nível de emprego das obras de infraestrutura, que apresentou queda de 6,8 mil vagas em 2016, não ter mantido o patamar positivo de 2015, que contou com a abertura de 4,3 mil postos de trabalho
Geilson Pestana, economista do Imesc

Somente no mês de dezembro, foram 4,74 mil demissões líquidas, 2,9 mil demissões comparado a 2015.

Em todo o país, o mercado de trabalho formal fechou 1,32 milhão de postos em 2016, o segundo pior registro da série histórica ajustada, iniciada em 2002, perdendo somente para o fechamento líquido de 1,54 milhão em 2015.

Desemprego em São Luís: capital teve 8,6 mil vagas demissões líquidas em 2016

Região Metropolitana de São Luís e os municípios que formam o traçado da Estrada de Ferro Carajás (EFC) foram as que registraram maior número de demissões.

De acordo com a nota do Imesc, entre as cidades com maiores saldos negativos no acumulado de 2016, estão: São Luís (-8,6 mil vagas de emprego) – onde as demissões líquidas sofreram influência, principalmente, da atividade de construção de edifícios e montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas –, Açailândia (-3,6 mil), Santa Inês (-820), Paço do Lumiar (-749) e São José de Ribamar (-717).

Já os municípios que mais criaram postos de empregos formais, estão: Imperatriz (477) – sendo o setor de serviços que mais contribuiu para o saldo positivo do emprego formal no município –, Campestre do Maranhão (122), Bacabeira (112), Paulino Neves (112) e Presidente Dutra (110).

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário; ele é muito importante para mim. Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube.


00000000000000000000
Maurício Araya
Jornalista graduado (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 Maranhão; e vencedor de duas etapas estaduais do Prêmio Sebrae de Jornalismo, categoria Webjornalismo
http://www.mauricioaraya.com.br