Iridium Flare: como observar?

Ciência 0 comentários
Tudo por 19 468 x 60
A foto que você vê acima é a de um Iridium Flare registrado em São Luís (MA) na noite do dia 25 de novembro de 2015. Mas o que são Iridium Flares?

Iridium é uma empresa de telefonia americana que lançou no fim da Década de 1990 cerca de 90 satélites com painéis que refletem a luz solar para criar um ‘pulso luminoso’, que pode se observado em vários pontos do planeta geralmente após o pôr do sol ou próximo ao amanhecer.

WOtP / Wikipédia / Creative Commons
Arte: WOtP / Wikipédia / Creative Commons

A duração do fenômeno, que pode ser observado a olho nu, pode variar entre cinco a 20 segundos e magnitude que vai de 6 (limite da luz visível a olho nu) a -8 (equivalente a 20 vezes o brilho máximo de Vênus e maior que o brilho da Estação Espacial Internacional, ISS na sigla em inglês) – entenda. Ao refletir a luz do Sol, ele parece incendiar-se no céu, como um meteorito (‘estrela cadente’). Daí o nome Iridium ‘Flare’.


Continua após a publicidade

Cadastre-se na Newsletter

Jessie Araya
Foto: Jessie Araya

Para observá-los, basta saber os horários em que eles vão acontecer. E para isso, dois aplicativos são fundamentais para calcular a localização, horários e magnitude dos Iridium Flares: Heavens-Above (para aparelhos com o sistema operacional Android) e Sputnik! (para iOS) – sendo esse segundo o meu favorito (por meio da opção ‘Show Device Orientation’, ele indica). É só usar a localização do seu aparelho para listar as próximas ocorrências dos ‘flares’.

Como fotografar?

Para fotografar os Iridium Flares, basta usar a função manual (indicada pelo símbolo ‘M’) da sua máquina fotográfica. Mesmo as semiprofissionais possuem a função que permite manter o obturador aberto por cerca de 10 segundos, fazendo o rastro da passagem do satélite.


Continua após a publicidade


Maurício Araya

Em algumas câmeras, o tempo de abertura do obturador pode ser maior – a minha possui tempo máximo de 30 segundos.

Maurício Araya

Basta equilibrar a velocidade do obturador e a abertura para obter um registro sensacional do Iridium Flare.

Maurício Araya
CLIQUE PARA VER EM ALTA DEFINIÇÃO
Passagens 468x60

Jornalista graduado (DRT-MA nº 1.139), com ênfase em produção de conteúdo para web, edição de fotos e vídeos e desenvolvimento de infográficos; com passagem pelas redações do Imirante.com e G1 Maranhão; e vencedor de duas etapas estaduais do Prêmio Sebrae de Jornalismo, categoria Webjornalismo

Visualizar publicações